Espinhas na cabeça: Sintomas e tratamentos

Espinhas na cabeça: Sintomas e tratamentos

15/11/2021

Quando falamos em acne, o mais comum é pensarmos logo naquelas que atingem a região do rosto, queixo e até mesmo às costas. No entanto, esses não são os únicos lugares que podem ser acometidos por essa condição dermatológica. Na verdade, espinhas na cabeça também são relativamente comuns e possuem motivos específicos para surgir.

A acne é uma condição que costuma ser muito associada à adolescência, por ser decorrente, também, de mudanças hormonais. No entanto, engana-se quem pensa que somente pessoas jovens podem ser acometidas por cravos e espinhas, já que adultos e recém nascidos também estão sujeitos a esse problema.

Além disso, as espinhas de uma maneira geral possuem características de formação muito comuns. Sendo assim, independentemente do grau de intensidade, a sua forma física será semelhante. Na cabeça, no entanto, o motivo de surgimento costuma ser um tanto quanto diferente das outras áreas do corpo.

Neste artigo, você irá entender um pouco mais sobre o que são as espinhas para cabeça e como elas surgem. Além disso, falaremos também sobre como se prevenir dessa condição e indicar os melhores tratamentos para não sofrer com erupções no couro cabeludo, algo que pode ser bastante doloroso em alguns casos.

Dito isso, pegue logo o seu caderno de anotações ou abra o bloco de notas do celular e venha conferir um pouco mais sobre o assunto.

O que são espinhas no couro cabeludo?

O surgimento de cravos e espinhas, de uma maneira geral, está diretamente associado a obstrução dos nossos poros, juntamente com o acúmulo de sebo nos mesmos. Sendo assim, quando um poro acaba sendo obstruído por excesso de oleosidade, ele tende a inflamar e se tornar uma acne.

No entanto, quando falamos de espinhas na cabeça e couro cabeludo, a situação é um tanto quanto diferente. Isso porque a erupção neste local do corpo se dá em decorrência da obstrução dos folículos capilares, os quais são responsáveis pelo nascimento de novos fios de cabelo.

Sendo assim, quando estes ficam obstruídos, a tendência é que o local acabe inflamado e resulte no surgimento de espinhas. Apesar de popularmente chamamos de espinhas, na verdade, nesses casos, estamos tratando de uma foliculite, ou seja, a inflamação de um ou mais folículos pilosos.

A aparência física desses folículos entupidos é bastante semelhante ao de uma espinha, sendo praticamente igual. Da mesma forma, ambas podem apresentar pus e estarem relacionadas a questões de oleosidade. Em alguns casos, também são bastante dolorosas, o que pode ser incômodo ao paciente.

CONFIRA TAMBÉM: O que fazer com espinhas inflamadas?

Por que podem surgir espinhas na cabeça?

Quem já passou pela situação de ir pentear o cabelo e sentir uma certa dor na região do couro cabeludo, sabe o quão incômodo isso pode ser. A situação piora ainda mais quando sentimos um inchaço na cabeça e, então, descobrimos que se trata de uma foliculite. Mas, afinal de contas, por que podem surgir espinhas na cabeça?

Como já citado anteriormente, as espinhas na cabeça, ou foliculite, termo mais adequado a ser utilizado, se dá em decorrência da obstrução dos folículos. No entanto, as causas diferem um pouco da acne comum, apesar das características físicas serem praticamente as mesmas, como vermelhidão e pus.

O surgimento de espinhas no couro cabeludo pode estar associado a infecções bacterianas, por exemplo. Nesse caso, bactérias acabam entrando em contato com o folículo e obstruindo, formando a erupção na cabeça com características um tanto quanto avermelhadas e semelhantes à da acne.

Além disso, a foliculite também pode ser decorrente de inflamações no couro cabeludo, as quais estão relacionadas a diversas doenças inflamatórias. Vírus e pelos encravados também levam a obstrução dos folículos e, consequentemente, a formação dessas chamadas “espinhas”.

Quais são as causas mais comuns para espinhas no couro cabeludo?

São muitas as possíveis causas por trás do surgimento de espinhas na cabeça e no couro cabeludo de uma maneira geral. Como já citado anteriormente, a foliculite bacteriana, a qual ocorre quando os folículos são infectados por bactérias, é uma das mais comuns e pode estar associada ao uso de bonés, toucas e muito mais.

Já a chamada infecção fúngica também é uma causa relativamente comum para o surgimento de foliculite. Nesse caso, a micose, por exemplo, pode levar a formação de espinhas no couro cabeludo, assim como provocar lesões e vermelhidões em outras partes do corpo.

A foliculite inflamatória, por sua vez, está diretamente relacionada a algumas doenças inflamatórias que provocam lesões no corpo. Já a foliculite decalvante também é uma das causas mais comuns para a incidência de espinhas no couro cabeludo, podendo atingir tanto homens quanto mulheres.

Existem ainda outras formas de foliculite que também são consideradas comuns para o surgimento de “espinhas” na cabeça. A foliculite dissecante ou abscedante do couro cabeludo é um dos exemplos, assim como a foliculite queloidiana e, até mesmo, problemas de fios encravados.

1.    Foliculite Bacteriana

A foliculite bacteriana acontece quando bactérias infectam os chamados folículos pilosos. Geralmente, essas bactérias são as chamadas estafilos, as quais ficam na superfície da pele mas podem entrar para dentro da mesma quando há cortes ou machucados, provocando então a infecção.

Pessoas que possuem baixa imunidade ou doenças como leucemia crônica, diabetes e HIV estão mais suscetíveis ao surgimento de espinhas na cabeça do tipo foliculite bacteriana. O mesmo vale para quem raspa a cabeça com lâminas, usa antibióticos ou esteróides e até mesmo utiliza bonés e toucas.

2.    Infeções Fúngicas

As infecções fúngicas também podem levar ao surgimento de espinhas na cabeça, sendo este apenas um dos sintomas dessa condição. A micose é um exemplo de infecção fúngica que atinge diversas partes do corpo, incluindo o couro cabeludo.

A micose do couro cabeludo é conhecida como tinea capitis, e costuma ser muito mais frequente em crianças. Quando ela evolui para uma inflamação, passa a ser chamada de Kerion. Em ambos os casos, é contagioso e pode ser passado de pessoa para pessoa.

3.    Foliculites inflamatórias

As foliculites inflamatórias são decorrentes de doenças inflamatórias que apresentam, entre outras características, espinhas na cabeça e couro cabeludo. Na grande maioria das vezes, essas doenças são raras e não contagiosas, podendo resultar na formação de cicatrizes e até mesmo perda de cabelo.

Não se sabe exatamente a causa das foliculites inflamatórias. No entanto, acredita-se que elas podem ser resultado de uma reação considerada anormal de bactérias como a estafilos, resultando nessas erupções.

4.    Foliculite decalvante

A foliculite decalvante é um tipo de foliculite inflamatória que atinge tanto homens quanto mulheres, sendo mais comum em homens. Os adultos, por exemplo, costumam ser mais suscetíveis a essa condição do que as crianças - diferente das infecções fúngicas.

Além de provocar espinhas no cabelo e couro cabeludo, a foliculite decalvante também tem outras diversas características. Descamação, crostas, vermelhidão e presença de fios que saem de um mesmo orifício também são alguns dos exemplos dessa condição.

5.    Foliculite dissecante

Também chamada de foliculite abscedante, a foliculite dissecante também leva a formação de espinhas na cabeça e couro cabeludo. Essa é nada mais nada menos do que uma inflamação crônica.

A sua principal característica são os nódulos flutuantes e interconectados, os quais foram um inchaço quase que único. Esta condição atinge normalmente homens jovens, estando relacionada a falhas irregulares do couro cabeludo.

6.    Foliculite queloidiana

A foliculite queloidiana é uma inflamação rara que não leva à formação de espinhas na cabeça, exatamente, mas sim na região da nuca. Ela atinge geralmente homens negros com menos de 40 anos de idade.

As espinhas não são a única característica da foliculite queloidiana. Essa condição também se manifesta com fibrose e formação de quelóide, ou seja, uma cicatriz saliente que parece uma massa de tecido.

Como tratar espinhas na cabeça?

Apesar de poder ser decorrente de uma série de condições, desde inflamatórias até bacterianas, as espinhas na cabeça podem ser tratadas de forma relativamente fácil. O mais correto, no entanto, é ir primeiro em um médico dermatologista o qual possa aconselhar o melhor caminho para o seu caso específico.

No entanto, é possível tratar essa condição lavando a cabeça com shampoo antirresíduo, o qual ajuda a tirar resquícios de produtos que estejam obstruindo os folículos. A esfoliação do couro cabeludo com produtos destinados a isso também ajuda a evitar a incidência de oleosidade, por exemplo.

Existem algumas receitas caseiras de esfoliação do couro cabeludo que podem lhe ajudar e muito no processo. As mais famosas são justamente açúcar com babosa e açúcar com mel, as quais possuem efeitos incríveis para a saúde do cabelo.

A oleosidade também pode obstruir os poros, então é importante tirar o excesso de sebo lavando o cabelo com o produto certo. Além disso, o shampoo deve ser aplicado somente no couro cabeludo durante a lavagem, sendo acompanhado de movimentos circulares que ajudam a estimular a circulação sanguínea.

VOCÊ VAI GOSTAR: Tudo sobre rostos com espinhas

Como prevenir espinhas na cabeça?

A melhor forma de prevenir a formação de espinhas na cabeça, no caso, foliculite, é com cuidados básicos no dia-a-dia. Evitar usar bonés ou toucas com muita frequência, acessórios que provocam calor e suor na região do couro cabeludo, é uma das formas mais simples de prevenção.

Além disso, para as pessoas que possuem cabelos muito oleosos, o certo é utilizar produtos específicos que retiram a oleosidade. Isso porque o excesso de sebo pode provocar a obstrução dos folículos e resultar na formação de espinhas no couro cabeludo.

Vale ressaltar ainda que a foliculite muitas vezes está ligada a questões bacterianas, fúngicas e inflamatórias. Sendo assim, procurar um dermatologista pode lhe ajudar a não ter problemas com essas espinhas.

O que não fazer com espinhas no couro cabeludo?

Apesar das espinhas na cabeça e couro cabeludo não serem exatamente as mesmas da acne comum, elas possuem características bastante semelhantes. Sendo assim, existem algumas coisas que você não deve fazer quando essas erupções surgirem, justamente para não piorar o quadro.

É extremamente importante que você não cutuque ou fique tentando espremer as espinhas que surgem na cabeça. Por mais que seja quase que intuitivo em alguns casos, fazer isso só irá piorar ainda mais a situação da erupção, visto que pode levar a uma inflamação mais séria e até mesmo a contaminação com bactérias da mão.

Além disso, pessoas que contam com foliculite devem evitar ao máximo o uso de bonés e chapéus. Esses acessórios acabam abafando o local e evitando a circulação de ar, levando a uma piora das espinhas.

5 Shampoos para evitar espinhas na cabeça

Existem alguns shampoos que ajudam a evitar espinhas na cabeça e couro cabeludo. A grande maioria age no sentido de provocar uma limpeza e obstrução dos folículos, diminuindo a erupção até a secagem da mesma. Confira alguns exemplos:

1.    Hydra Detox - L’Oréal Paris

O Hydra Detox, da conhecida marca L’Oréal Paris, é uma das melhores opções de shampoos para quem busca evitar espinhas na cabeça e couro cabeludo. Ele é indicado para cabelos oleosos, mistos e com pontas desidratadas, promovendo uma limpeza e hidratação por 48 horas.

O Hydra Detox ajuda a purificar o couro cabeludo e a fibra, agindo contra a oleosidade. Além disso, ele contribui para a hidratação dos fios, deixando os mais fluidos e naturais, além de extremamente limpos.

VEJA MAIS: 10 alimentos que causam espinhas

2.    Nano btX Repair - Richée

O Nano btX Repair, da marca Richée, é outra opção para quem busca evitar espinhas na cabeça a todo o custo. Esse shampoo possui uma fórmula concentrada que age na estrutura capilar, proporcionando uma restauração dos fios.

O grande forte desse shampoo é o fato dele ser antirresíduo. Sendo assim, promove uma limpeza profunda dos fios e retira os resíduos de outros produtos, poluição e oleosidade, desobstruindo os folículos e evitando o acúmulo de bactérias.

3.    Limpeza Profunda - Pantene

Outra excelente opção para quem quer evitar a formação de espinhas no couro cabeludo é o Limpeza Profunda, da marca Pantene. Esse shampoo antirresíduo ajuda a remover as substâncias do cabelo, retirando a oleosidade do couro e fazendo uma limpeza completa.

Com isso, além de tratar os fios, também contribui para que não haja a obstrução dos folículos. Sendo assim, evita que a oleosidade e sujeira os obstruem e resultem na formação de foliculite.

4.    Deep Detox - C. Kamura

Indicado para todos os tipos de cabelo, o Deep Detox da marca C. Kamura também é uma ótima alternativa para quem busca evitar o surgimento de espinhas na cabeça. Este shampoo antirresíduo promove uma limpeza profunda e completa do couro cabeludo.

Sendo assim, remove as impurezas do fio e do couro, evitando a obstrução dos folículos capilares. Dessa forma, contribui para que o seu cabelo fique limpo, protegido, e livre de obstruções por oleosidade e sujeira.

5.    Shampoo Antirresíduo - Gotas Verdes

E por último, não há como não citar o Shampoo Antirresíduo da marca Gotas Verdes. Esta é uma ótima opção para quem quer evitar a formação de espinhas no couro cabeludo, já que promove uma limpeza profunda no mesmo.

Assim como os citados anteriormente, ele age no sentido de retirar os resíduos deixados por produtos químicos, poluição ou até mesmo sujeira e que podem obstruir os folículos. Dessa forma, evita que haja a incidência de bactérias que levem a foliculite.

Referências:

Terra. Espinha no couro cabeludo: entenda as causas e saiba como tratar. Disponível em: <https://www.terra.com.br/vida-e-estilo/espinha-no-couro-cabeludo-entenda-as-causas-e-saiba-como-tratar,de04f4cd6af2e66d1d942a20007048993fpt5vmx.html>. Acesso em 15 de novembro de 2021. 

Clínica Doppio. Espinhas no couro cabeludo: o que pode ser? Disponível em: <https://clinicadoppio.com.br/espinhas-no-couro-cabeludo-o-que-pode-ser/>. Acesso em 15 de novembro de 2021.

Fique Diva. Espinhas no couro cabeludo, o que significa? Saiba como prevenir e tratar do problema. Disponível em: <https://www.fiquediva.com.br/noticia/espinhas-no-couro-cabeludo-o-que-significa-saiba-como-prevenir-e-tratar-do-problema_a15804/1>. Acesso em 15 de novembro de 2021.


Vergonha da sua Acne?
Conheça o plano de desintoxicação da pele que resolveu esse problema de uma vez por toda em meu rosto.
resolver esse problema